Rieu

14/12/2017

Trabalho, solidariedade, tolerância




Allan Kardec inscreveu em sua bandeira estas palavras: Trabalho, solidariedade e tolerância.

A palavra trabalho deriva-se do original latino tripalium, que era um instrumento de tortura composto de três paus. Da idéia de “sofrer”, passou-se à de “esforçar-se”, “lutar”, e, enfim, “trabalhar”. Trabalhar é dedicar-se a uma atividade, desempenhar um ofício, fazer um trabalho.

A questão 674 de O Livro dos Espíritos inquire: A necessidade do trabalho é lei da Natureza? “O trabalho é lei da Natureza, por isso mesmo constitui uma necessidade, e a civilização obriga o homem a trabalhar mais, porque lhe aumenta as necessidades e os gozos.”

Entretanto, por trabalho só se devem entender as ocupações materiais? “Não; o Espírito trabalha, assim como o corpo. Toda ocupação útil é trabalho.”1

Joanna de Ângelis complementa: “Os mecanismos da evolução utilizam-se do trabalho como meio de disciplinar a vontade, domar os instintos, desenvolver a razão e sublimar os sentimentos.”2

“O trabalho é, ao lado da oração, o mais eficiente antídoto contra o mal, porquanto conquista valores incalculáveis com que o Espírito corrige as imperfeições e disciplina a vontade. O momento perigoso para o cristão decidido é o do ócio, não o do sofrimento nem o da luta áspera. Na ociosidade surge e cresce o mal. Na dor e na tarefa fulguram a luz da oração e a chama da fé. Maledicências e intrigas, vaidade e presunção, calúnias e boatos, despeito e descrédito, inquietações e medo, pensamentos deprimentes e tentações nascem e se alimentam durante a hora vazia.”3

Solidariedade, de solidarius, se expressa como a dependência mútua entre os homens; sentimento que leva os homens a se auxiliarem mutuamente. Assim, solidário é quem partilha o sofrimento do outro, ou se propõe a atenuá-lo.

Tolerância é aceitar com indulgência. Disposição de admitir, nos outros, modos de pensar, de agir e de sentir diferentes dos nossos.

Mais do que nunca devemos vivenciar o lema do mestre lionês, pois é roteiro de saúde e equilíbrio para todos os que buscamos evoluir na seara espírita.

1KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. 84. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2003. questão 675.
2 FRANCO, Divaldo. Sendas Luminosas. Pelo Espírito Joanna de Ângelis. Salvador, BA: LEAL. cap. 10. p. 67.
3______. Leis Morais da Vida. Pelo Espírito Joanna de Ângelis. 12 ed. Salvador, BA: LEAL. cap.7 p. 45