Rieu

08/10/2017






Aceita a tua evolução 

"Porque as palavras do ano que passou pertencem à liguagem do ano que passou e as palavras do ano que há-de vir esperam ainda uma outra voz. E dar um fim é dar início". T.S. Elliot

Segundo o calendário kabbalístico, esta é a semana em que começamos, de novo a Torah desde o início. E com isso, somos calorosamente recebidos por uma onde de energia fresca de recomeço, renovação e mudança.

E porém, por entre a novidade, vamos lembrar-nos que a natureza da Vida é de conexão completa - como o símbolo de infinito, ou o círculo. Nos nossos corpos finitos, vivenciamos arestas definidas, fins e começos, altos e baixos; mas a realidade é que tudo é um contínuo de energia. Como nos diz a terceira lei da termodinâmica, a energia não pode ser destruída, apenas muda de forma. O mundo, e tudo nele, pode ser totalmente diferente hoje do que era 20 anos atrás, ou há 10 anos, ou de como será daqui a 20 ou 30 anos, mas seja como for essa singular Força Vital ainda existe. Mesmo na morte, não há separação, A alma é duradoura e eterna.

Ouço com frequência as pessoas perguntarem: "Porque é que eu tenho de mudar? Não posso simplesmente fazê-lo da próxima vez? Porque preciso de pensar a respeito de cuidar, partilhar e contribuir para o todo, agora?" E a resposta a isso, segundo dizem os escritos kabbalsísticos, é que sim, você pode voltar, de novo, mas é melhor não apostar muito nisso, pois existe a possibilidade de re-encarnar numa forma diferente - com uma cobertura de pelos ou quatro patas, talvez.

Não digo isto para ser desmotivadora, mas porque estamos a virar uma página nas nossas vidas, individual e colectivamente. Queremos escrever o nosso novo capítulo para que seja diferente do anterior. Queremos tirar partido do incrível ano que temos por diante para avançar no nosso propósito de existência neste mundo. O que isso requer é uma disposição para aceitar a nossa evolução, para descobrir como podemos estar mais alinhados com o nosso Verdadeiro Eu e para olharmos para dentro vendo o que podemos rearrumar neste seguir adiante.

É dom nosso, como seres humanos, poder decidir como vai ser a nossa história. Tal como uma árvore que cresce nua no inverno e desenvolve folhas e flores e frutos chegada a Primavera, também a nossa vida passa em ciclos. Em cada um, são-nos apresentadas oportunidades de desenvolver a nossa natureza espiritual ao transformarmos o negativo em positivo, trazendo à luz, para benefício de todos, aqueles aspectos mais difíceis de nós mesmos.

Especialmente nestes tempos em que toda a gente fala de mudança no mundo. E de facto nós, humanidade, somos os únicos que temos a capacidade de a fazer acontece

Desejos de uma grande semana de luz e transformação.
Karen


Se você receber este e-mail de um amigo e gostaria de subscrever : clique aqui